SONETO DO AMOR TOTAL


Amo-te tanto, meu amor...não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

Vinícius de Moraes

4 comentários:

margusta disse...

Olá Saramar,
...Lindo este soneto que nos deixas..
" Hei-de morrer de amar mais do que pude"
Maravilhoso...
Beijinhos.

terragel disse...

SARAMAR, o Vinícios é simplesmente ótimo, não sei nem o que dizer de tão linda poesia, mas te parabenizo por sempre lembrar-te de colocar no teu blog e lindo poeta.
Um cordial abraço

Lata Mágica disse...

oi saramar maravilhoso soneto de Vinicíus ele e um dus poetas preferido. também gosto de rabiscar em papel em branco asvezes até sai alguma coisa, mandarei alguma para você da sua opinião. Paraben... sou Odilene e junto com willam somos do lata mágica

Lata Mágica disse...

Oi Saramar a respeito de suas perguntas sobre patrocinio? não, não temos patrocinio. Estamos enviando projetos para algumas instituições para ensinar em comunidades carentes, mais até agora não obitevemos resultados. também não temos ajuda de niguem! estamos correndo sozinhos e com alguns insentivos da familia e de amigos. estamos agora tentado consiguir um computador pois até computador não temos ,ultilizamos siber café ou na cosa de amigos que dar uma força por isso muitas vezes não podemos responder rapido. odilene e willam