CAIS



"o que é que eu posso contra o encanto
Desse amor que eu nego tanto..."
(Chico Buarque)

eu vivo no cais
olhando pro mar
eu vivo de ar
gaivota sem rumo
perdida de amar.

eu vivo no cais
a espera de nada.

de tanto olhar o mar
azularam-se meus olhos,
perderam-se os sabores
ficando o sal.
do mar?
talvez lágrima
se ainda restar.
Saramar

AS SETE MARAVILHAS
Cilene, Dono do Bar e Tina nem esperaram começar o mês de julho e já me enviaram seus presentes. Confesso que mal soube desembrulhá-los de tão emocionada e feliz que fiquei. Precisei da ajuda de sete pessoas, sim SETE (vejam a lista abaixo) MARAVILHAS.
Bosco Sobreira, Zé Carlos, Alquimista, Guto Leite, Bill, Moita, Daniela.


Imagem: Rafael Fernando Flores

9 comentários:

Tiago disse...

Belas imagens que nos trazes do seu cais, imagens com cheiro de mar.

Beijos.

Zé Carlos disse...

Obrigado Sara querida, sua indicação é o melhor presente que posso receber...
Bjs do amigo do peito, Zé

un dress disse...

entra no mar sara...

perdida.mente ...



beijO

Daniele disse...

Minha querida amiga e poetisa Saramar, vindo de ti, que é certamente uma das 7 maravilhas do lirismo, da poesia, do encanto, da beleza, do sentir, amar...é uma honra infinita receber tal indicação!

E nesse cais,
sabemos a dor
de nos lançarmos!

Beijos na sua alma,

Vieira Calado disse...

Obrigado pelas palavras em relação ao meu blog de poesia.
Prometo voltar aqui, como mais tempo.
Um abraço

Bosco Sobreira disse...

Minha querida Poeta,
Sem palavras para agradecer esse gesto de desmedida generosidade. Obrigado, querida Saramar. Em algum lugar de sua alma, você intuiu (e antecipou) em 20 dias o melhor presente que eu poderia receber em meu aniversário.
Um beijo afetuoso.

Lia Noronha disse...

Saramar: sempre ionante poesia!..sua emocionante poesia!!!
Bjus mil!!!

Bill disse...

Vindo de tu dona moça de belas palavras, fico sem graça e muito feliz.
Obrigado mesmo pelo carinho de sempre.

:*

Moita disse...

Sarita

Eu não poderia agradecer de melhor forma a sua homenagem do que me esforçando diuturnamente na tentativa de imitá-la.

uma montanha de cheiros