NÃO FOI POR QUERER


Não foi por querer
foi um por um triz e
o disco de Dolores
tem tudo a ver.
Não, eu não quis
o olhar de fogo
nem o sorriso,
candelabro aceso
logo agora
que minha boca
fingia esquecer
seu beijo de giz.
Saramar

Imagem: Willian Dyce

8 comentários:

Zé Carlos disse...

Oi menina Sara, eu disse que não iria comentar mais pois tudo seu é tão lindo que eu fico repetitivo...
Mas sempre volto atrás e acabo te admirando mais e mais....
Bjs do Zé Carlos

Lela disse...

Beijo de giz deixa marcas...
Belo, Saramar! Belo!
Beijo.

Vera disse...

Lindo Saramar!
Esquecer um beijo de giz... Adorei essa tua metáfora!

*♥*´¯`*Beijinhos*´¯`*♥*

Dalila disse...

giz, gostei

JPAnunciação disse...

Um "beijo de giz" que se finge esquecer, mas não se apaga dos lábios que ainda o saboreiam.
Mais uma vez, gostei imenso desta sua expressão da alma.

Um beijo.

looking4good disse...

Obrigado pela sua visita e comentário e também, naturalmente, pelos poemas no seu blog. Juntei o «Falares» ao meu blogroll :)

Márcia(clarinha) disse...

Beijo de giz não se esquece nem sem querer...
beijossss

Tina disse...

Oi Saramar!

Nunca é por querer, nunca. Por algum motivo (desconhecido), é por que tem que ser. E não devia...

beijos querida, ler você me faz bem.