AMOR


Nesses laços que o amor
(sorrateiro) cria,
há que se pisar de leve.
O amor é breve,
é fio que se rompe
ao sopro mais impossível,
a um sorvo diferente
de ar.

Se dele não há como desenredar-se,
sorrateiramente
desfaz o que se pensava pronto
e solto, solta-se por aí,
balão que, de pouco em pouco
perde a cor
bem diante dos cegos olhos,
cegos de tanto o contemplar.

(
O amor não é o quadro de enfeitar.
É antes, a parede que se põe abaixo
e o que há depois dela
).


Saramar

Imagem: Joan Miró

13 comentários:

happiness...moreorless disse...

que bonita descrição de amor =)

*********

Mário Margaride disse...

Olá Saramar,

Gostei muito deste poema!

E em especial deste verso final, onde dizes:

"O amor não é o quadro de enfeitar.
É antes, a parede que se põe abaixo
e o que há depois dela)."

Lindo!

Beijinhos querida amiga.

Márcia(clarinha) disse...

Delicadamente afirmo minha alegria em ler seus escritos.
O sentimento é frágil, há-de ter cuidado.
lindos dias, doce Saramar
beijosssss

Sílvio Vasconcellos - V&V disse...

Vi nesses versos balões saltitantes. É a mágica do ritmo emoldurando palavras.

Janaina Staciarini disse...

E o que há depois da parede? Ai, Sara... nem te conto...

Bosco Sobreira disse...

Antes, perdão por ter me ausentado uns dias. Estava às voltas com coisas menores.
Volto e encontro a poesia que me alimenta a emoção. O pão-meu-de-todos-os-dias, de minha emoção.
Um beijo afetuoso, Poeta.

Sandro disse...

Falar de amor, com essa certeza de que ele é a base sobre a qual cai tudo o resto é muito bom...

Um beijo..

Joana Dalila Santos disse...

Gostava de ter essas certezas todas

Moita disse...

Estou eu lá,
lépido e faceiro,
sempre depois da parede
que se põe abaixo,
bem no terreiro.
vai um cheiro?

Tiago disse...

Lindas palavras sobre o amor, me fizeram lembrar uns versos do grande Tom Zé:

"O amor é velho, velho, velho e menina
O amor é trilha de lençóis e culpas, medo e maravilha...".

O amor é mesmo como um balão errante, às vezes pode alcançar vôos intangíveis, outras pode murchar, perder fôlego e nos trazer de volta ao chão.

Beijos.

Alice disse...

Tão contrário a si mesmo é este amor...

Beijinhos...

Claudinha disse...

Este amor é assim, muito mais que o que se prevê, que o óbvio! Beijos!

Tina disse...

Oi Saramar!

Noossa que coisa mais linda! "...O amor é breve,
é fio que se rompe
ao sopro mais impossível,
a um sorvo diferente
de ar." ... é isso mesmo, não tenho como negar. Lindo, lindo. Obrigada.

beijos querida, fica bem.