TEMPO, TEMPO


Tudo vai passar.
essa flor, o copo, a sede e

o assombro das horas vazias.

Vai passar a espera e
a nostalgia do encontro
que nunca se deu.

Passarão também as horas
ainda que lentamente
e as noites saltarão sobre mim,
lupinas,
invadindo os dias.

Tudo vai passar,
a não ser o meu amor,
avesso do céu
e essa dor, essa dor.
Saramar

Imagem: Lady More

11 comentários:

Um Poema disse...

Lindo este teu TEMPO, TEMPO
Obrigado pela visita, que só agora, no regresso, posso retribuir.
Uma nota mais.
(10 de Junho, comemora-se o DIA DE PORTUGAL. Que melhor data para uma homenagem aos combatentes que deram a vida por PORTUGAL?) Espero ter respondido. Se, porém, quiseres algum esclarecimento mais, dispõe.

Um abraço

Nilson Barcelli disse...

Estou a tornar-me repetitivo, mas este seu poema é mais um exemplo da sua grande classe como escritora.
Boa semana, beijinhos.

Tina disse...

Oi Saramar!

Tudo passa, tudo passa. A dor fica. Leva tempo: mas passa.Mas a gente sente. E como. Sente.

beijos querida e boa semana.

Zé Carlos disse...

Linda Saramar.....
"Tudo vai passar,
a não ser o meu amor,
avesso do céu
e essa dor, essa dor."

Se pelo menos o meu amor não passar esta dor, ah! nesta dor dou um jeito... mas se passar o amor, que dor... Bjs do ZC

O Árabe disse...

É verdade: tudo passa... menos as marcas que os sentimentos inscrevem em nós.

un dress disse...

de inscrições: a pele sabe.

a alma também...





beijO

Joana Dalila Santos disse...

Profundo

Daniela Mann disse...

Há amores que nem o tempo cura!!!
Felizmente, ou infelizmente, fica a dúvida...
Mais uma semaninha e volto à blogoesfera com a energia de antes, até lá um abraço apertadinho cheio de carinho.

Entre linhas... disse...

O tempo cura,embora não vá sarar todas as feridas...embora as marcas e os sentimentos permaneçam.
Bjs Zita

Vieira Calado disse...

Gostei deste poema. É a primeira vez que visito o blog. Voltarei. Um abraço transatlântico.

Moita disse...

Belo poema. E uma coisa me chamou atenção.
O meu sobrenome final é Lopes que significa filho de Lopo que traduzimos lobo e somente os lobos podem criar noites lupinas.

Milhões de cheiros