INÍCIO OU FIM?


Deitar no teu peito, "fera exausta",
é o fim ou início do delírio?
da noite mais longa?

Ainda buscas em meus seios,
o cheiro, a maresia que deixaste?
Início ou fim?

No luzir das primeiras horas,
o dia em nós já veio antes,
pois que nascemos sempre,
ao morrer, entre pernas, beijos,
no chão que se abre
e no vinho que, sedento,
bebes em mim.
Saramar

Imagem: Munch

7 comentários:

delusions disse...

"Ainda buscas em meus seios,
o cheiro, a maresia que deixaste?
Início ou fim?"

...

adorei!

bjinhos*

Bosco Sobreira disse...

Eita, Poeta pra produzir beleza sem pausa!
O poema anterior é de uma beleza e de uma concisão que impressiona. Não há nada a acrescentar, tamanha a força do poema. O de hoje, uma construção de sensualidade que só cabe aos grandes (às grandes) criadores, criadoras.
Um beijo de respeito de admiração, minha querida Saramar!

mari crrrrruuuu... disse...

Deleitoso poema!

"E no vinho que, sedento,
bebes em mim."

Gostei :)

Bjinho e bom fim-de-semana!

Tiago disse...

Muito bom, realmente instigante. Parabéns pelo blog, belos escritos, aparecerei + por aqui.

Abs.

A.S. disse...

Não há paz entre os versos, entre as silabas das palavras! Há apenas a dúvida de um amanhecer entre o desejo consumado e as bocas ainda sequiosas!...


Um belo poema Saramar...

Beijosssssssss

Mário Margaride disse...

Que delicioso poema saramar!

Com este amor, com um cheirinho a maresia...

"Ainda buscas em meus seios,
o cheiro, a maresia que deixaste?
Início ou fim?"

Muito lindo!

Beijinhos, e um excelente Domingo.

suruka disse...

Os cheiros...
muito sensual!

bjs