PARTIDA



Depois das nuvens e das flores
depois dos beijos mentindo em minha boca,
a solidão canta dentro da noite, sua ária dolorosa.

Ainda não te perdi, mas já pressinto tua ida
pois teus passos se afastam dos meus,
na tristíssima dança do adeus.

Agora vais, vento que és.
antes de ir, porém, perdoa o que não digo,
perdoa o desabrigo do meu corpo sem ti.
Saramar

6 comentários:

cilene disse...

espero que vc nao esteja solitaria e que esteja tudo bem com vc..beijos.cilene

Alice disse...

Querida Saramar...
Acabei de ler mais este teu poema cheio de força e sentido...
Quando puderes passa pelo Detalhes, tens lá um carinho para ti...
Beijinhos...

Claudinha disse...

Forte, grande apelo sentimental... Menina talentosa! Beijão!

Zé Carlos disse...

Vc é linda sempre, e escrevendo tem esta força inexplicável...
Bjs do ZC

Márcia(clarinha) disse...

Imperdoável esse desabrigar...
Doce Saramar meu carinho procê nesse dia,
beijos

Freyja disse...

querida amiga Saramar y poeta
muchas gracias por tus saludos en Poesias un espacio para dejar hablar el alma de bellos poetas que nos regalan siempre poesia
te dejo muchos cariños y deseo que estes muy bien, un abrazo grande amiga
besitos



besos y sueños