VÉSPERA


chorei esse dia
e a vida que não vivi
chorei pelos dias
em que me esqueci
chorei a covardia
chorei pelos dias.
de melancolia,
todo dia, chorei.

chegou o dia,
enfim a hora
de o anseio,
da secura da alma
secarem os olhos.
agora reluto,
corcoveio,
nego.

encaro o dia
e saio em busca
de alguma folia
todo dia...
Saramar

Imagem: Jules Chéret

5 comentários:

Bosco Sobreira disse...

Minha querida Poeta,
Pássaro é um dos seus melhores poemas. Um dos mais belos. Sensível, instigante, véspera do Véspera, mais um lição de emoção.
Espero poder voltar ao alimento da alma com a frequência que a fome e sede de sua poética exige...
Um beijo afetuoso!

Rose disse...

Simplesmente Saramar... assinado por ti é sinônimo de beleza, poesia e alma...

beijos

Márcia(clarinha) disse...

Todo dia tudo sempre igual na esperança de mudança, todo dia a espera que o vento sopre folia de qualquer dia...
Doce Saramar, mestra das palavras
beijosss

Mônica Montone disse...

que seus dias sejam sempre uma festa anunciada, querida

beijocas

MM.

Chiko Kuneski disse...

Belo poema..."corcoveio, nego".Palavras fortes e de vida própria.