SEM SABER


eu, que do amor,
quis a ternura,
não soube dizer,
nunca soube pedir.

por isso, vivo só de querer,
por isso, morro assim,
de amor, sem merecer.
Saramar

Imagem: Paula

8 comentários:

Flávio Otávio Ferreira disse...

Pois é...do amor podemos pedir tudo ele não nos nega nada...só nos dá o prazer de amar... não acredito que o amor seja sofrido... não acredito no sofrimento por amor... e sim no sofrimento pela falta dele!

Cristiane disse...

Querida Saramar,

Falar do amor é tão sublime e vc o faz magistralmente...Sinto falta de vir aqui, seu blog está como sempre, lindo!
Obrigada pela visita e um Feliz Dia do Amigo p/ vc....( amanhã)!
Beijos e um bom fim de semana, Cris

Ricardo Rayol disse...

lindo, lindo, lindo, que suavidade e que tristeza minha gurua. adorei.

Claudinha disse...

É sempre complicado em se tratando de ternuras. Merecer o amor, ai que lindo... Você domina as falas de amor amiga! Beijos!

Edson Marques disse...

Saramar,


Adorei!


"Morrer de amor, sem merecer..."




Abraços, flores, estrelas..


.

Virginia Pereira disse...

Olá querida, hoje eu consegui falar com voce, e como sempre só posso mandar palavras de elogio e amor!! lindo blog como sempre,
beijos e saudades!

isabella benicio disse...

Mais um belo poema, Saramar. Lindo mesmo.
Pedindo licença pra te linkar...
Beijo.

Chiko Kuneski disse...

Um clássico da poesia trágica de amor. Descreves bem a desventura.