O ADEUS


O adeus irremediável,
que corta o coração
com a lâmina mais fatal
é aquele que se reafirma
no silêncio de todo dia.

O adeus enche o ar de silêncio
como a névoa mais fria.

Saramar

Imagem: Mico

14 comentários:

Bosco Sobreira disse...

Gosto de tua poesia, você sabe!
Gosto cada dia mais!
Beijos, Poeta querida!

Mário Margaride disse...

Querida amiga,

Por vezes há silêncios, nesseçários. Para neles reflectirmos, e nos olharmos dentro de nós.
Porém há outros, que nos são impostos, que nos doiem. A esses, temos que a voz da esperança, e da alegria.

Gostei muito!

Beijinhos

Márcia(clarinha) disse...

Esse silêncio com som de adeus machuca...
dia lindo doce Saramar
beijos

Moita disse...

Sarita

Pensei em fazer uma desconstrução,
mas o poema é tão forte e profundo que seria a mesma coisa que passa batom grená na Monalisa.

Uma cachoeira de cheiros

Ricardo Rayol disse...

Baita, sem palavras.

Claudinha disse...

A pior ferida é feita com a lâmina do abandono, agravada ao esquecimento, atormentada pelo adeus. Você é demais! Beijos!

Claudinha disse...

A pior ferida é feita com a lâmina do abandono, agravada ao esquecimento, atormentada pelo adeus. Você é demais! Beijos!

Alice disse...

Querida Saramar...
conheci quatro "adeus" irremedi�veis... que cortaram meu cora�o em mil peda�os doloridos e que se reafirmam em sil�ncios di�rios, gelados e h�midos como morte... Por isso... sei bem como pode doer um adeus...
Para ti... um beijinho muito grande...

Edson Marques disse...

Só vim te ler de novo.


Abraços, flores, estrelas..

.

Anne Baylor disse...

Poxa...

Poema de cortar o coração, Saramar..

de tristeza e solidão.

Bj

Isabella Benicio disse...

Não sei o que é pior: se o adeus que se reafirma no silêncio de todo dia ou se o amor que finge ser e segue dançando na lâmina cruel desse mesmo silêncio.
Belíssimo poema, Saramar.
Beijo,
Isabella

Tina disse...

E eu me pergunto:

Como se liga - se não rima - amor & adeus? Nâo devia, não podia.

Lindo, lindo, lindo, Saramar.

beijos querida,

Tiago disse...

A "presença da ausência" é mesmo uma sensação difícil de se conviver, fica sempre a impressão de que falta algo, que há alguma coisa incompleta, fora do lugar.

Beijos.

Lia Noronha disse...

Saramar:a despedida...o perder-se em pensamentos...td navega na sua doce e encantadora poesia!!!
Bjus mil!!!