SAUDADE


sabe aquela saudade
que parece que vai matar?
amansou, tomou jeito,
anda aqui dentro quieta
espinho a me envenenar.

sabe aquela saudade
com jeito de furacão?
arrefeceu, é um vento
que espalha, sem piedade,

meus pedaços pelo chão.

sabe aquela saudade
que não vai nunca embora?
já quase não se percebe.
é lágrima transparente
é um frio, como se lá fora,
o mundo se cobrisse de neve.
Saramar

10 comentários:

Tina disse...

Oi SAramar!

Eu sei dessa saudade: ela é parte da gente, que não desprende. Existe e não desiste.

Lindo, lindo.

beijos querida,

isabella benicio disse...

Como sei, Saramar...
E um dos jeitos de serenar o que teima cutucar é escrever bonito assim, do jeito que você faz.
Beijo.

DE-PROPOSITO disse...

Saudade
------------
As saudades fazem parte da vida. E a realidade é que nós só temos saudades das coisas boas. As más são para esquecer, essas não deixam saudades.
Fica bem.
Felicidades.
E não deixo saudades. Mas deixo beijinhos, dos.........
Manuel

Bill disse...

Sei... Sei bem dessa saudade que deixa tudo com um gosto amargo...

Saudade espinho... sempre.

Beijo e otimo fim de semana

:*

tati sabino disse...

Sei bem como é essa saudade...
Saudade machuca, e ao mesmo tempo reconforta pq tras a lembrança...
Bjos linda!

Dora disse...

Um doce apaziguamento. Mas, essa saudade ainda incomoda e "deforma" o olhar e entristece a pele...
Um poema tranqüilo de uma constatação que "precisa" ser afirmada...para ser acreditada...
Beijos, poeta.
Dora

Márcia(clarinha) disse...

Sei, sei e sei que é de amargar...
findi lindo doce Saramar
beijos

Pepe Luigi disse...

Saramar,
Você tem muito geito para escrever.
As palavras saiem-lhe por encanto.
Belíssimo poema.

Um beijinho
do Pepe.

eu disse...

Dito assim � lindo !


D. Galinha

Mário Margaride disse...

Querida Saramar,

A saudade:
é um sentimento,
que é impossível deixamos de ter
Se de repente,
deixássemos de ter saudade
Deixariamos de viver.

Beijinhos