À ESPERA


traz teu sol
e abro os olhos
como se fora flor
saindo do outono.

traz a música,
e invento a dança
a dúvida dos braços,
em infinito baile.

traz um dia
e faço uma vida
valsas, vaso repleto
do nosso amor.

Saramar

Imagem: Lisa Linch

6 comentários:

Moita disse...

Traz a noite
e faço-lhe amor
em infinitos braços
repletos de bailes.

E vasos de cheiros

isabella benicio disse...

Gostei da leveza desse teu poema, Saramar. Sol, flor, música, vida. E um amor a rechear isso tudo. Bom demais, né?
Beijo e um ótimo fim de semana.

Lata Mágica disse...

Saramar nossa amiga, voltamos com mais força pra mostrarmos o que agente sabe fazer. as fotos na lata.
Espero seu comentário!

Um excelente final de semana.

Willam & Lene

Janaina Staciarini disse...

Totalmente musical, Sara...
Saudades de vir aqui e me emocionar.
Beijos.

Mário Margaride disse...

Belo poema, Saramar!

Na espera, se desespera.

No entanto,
vale sempre a pena esperar
Se for pelo amor,
que vem já ali,
para amar.

Beijinhos

Tiago disse...

Lindos versos de luz e som, adorei o poema!

Beijos e boa semana.