LAMENTO


se soubesse como lhe dizer,
diria da madrugada,
estação onde o tempo,
esse voraz passageiro,
sempre faz sua parada.

se soubesse como lhe dizer,
diria do dia,
um tormento crescente,
a certeza da noite,
essa que nunca passa,
madrasta.

Quem dera pudesse,
em uma palavra lhe dizer,
do meu lamento a perturbar
as noites, a lua, a cidade.

Se pudesse,
eu diria,
saudade.
Saramar

8 comentários:

cilene disse...

Se pudesse nem sei o que diria...respondi seu e-mail..beijos e bom domingo.

Márcia(clarinha) disse...

Quem dera não existisse essa saudade...
feliz domingo doce Saramar
beijos

Um Poema disse...

..."Se pudesse, eu diria, saudade."
Saudade... quantos dramas, esperanças, sonhos, desesperos nela se encerram.

Um abraço

Mário Margaride disse...

Querida amiga,

Saudade...
Sentimento,
que nos leva ao mundo das recordações,
e da nostalgia.
Da tristeza,
da alegria.

Belo poema!

Boa semana, e um grande beijinho

Jôka P. disse...

Sinto saudades do pavê de chocolate da minha avó.
E de minha avó também, naturalmente.

Thunder disse...

Saudade é a minha palavra favorita, por isso, adorei este poema.
Obrigada pela visita no meu blog.
Cumprimentos.

Chiko Kuneski disse...

Belo poema, romântico, gosto de ler, suave, sensível.

Ricardo Rayol disse...

Um angustiante lamento
que brota
em espamos
agoniado grito
de saudade.