NOITE


No mais profundo da noite,
atraída pelo papel leve, despido de versos
e o lápis sem sentido, bailarino sem música,
sonho o sonho acordado
de todas as madrugadas,
os pecados íntimos e solitários,
a lua,
busco palavras, pássaros ariscos.

Traem-me os sonhos, outros,
de noturnas carícias.
Trago de vinho em escuridão,
travo,
treva,
solidão.
Saramar

7 comentários:

A.S. disse...

O lápis, o papel... e tu!

A trilogia perfeita!
Deixa que o bailado do lápis desenhe as tuas emoções na alvura sem mácula do papel!...


Um terno beijo...

clene disse...

Que vc tenha um otimo fim de semana com bom vinho e boa companhia..

Mário Margaride disse...

Querida amiga,

Belíssimo poema!

"Traem-me os sonhos, outros,
de noturnas carícias.
Trago de vinho em escuridão,
travo,
treva,
solidão."

Lindo!!!

Bom fim de semana

Beijinhos

Claudinha disse...

Tragos são traiçoeiros, vinhos e noite acentuam a solidão, mas haverá sempre um amanhecer. Beijos! LIndo poema!

margusta disse...

Querida Saramar...Perfeito o poema e a imagem!

Gostava muito de te ter hoje lá na minha casinha!


Faz hoje dois anos que editei o meu primeiro post...

O que conta não é o que fazemos, mas o amor que colocamos no que fazemos!".
Madre Teresa de Calcutá ...

Alongo os meus braços e abraço-Vos... num abraço intemporal!!!

Lia Noronha disse...

Saramar: sua poesia..é estonteante..enebriante...divina!!!
Bjin con carin

Jôka P. disse...

Tudo chique e lindo aqui no seu blog ! Arrasou !