DESALENTO


quanto vão pode haver
entre as palavras com que tento
falar do meu desalento
e o que, em vão, invento

para esquecer?

um mundo, um vento que tange as cores
do camaleão do meu intento de me esconder?

(em vão)

o que pode haver?
Saramar

Imagem: Cartro Pedra

5 comentários:

Bosco Sobreira disse...

...essa luta vã, como diria Drummond.
Mas, em sua poética nada é vão, nada é em vão.
Um beijo afetuoso, Poeta.

Erika disse...

palavras só mostram e desnudam o que se pensa esconder.

beijos querida

Tina disse...

Oi Saramar!

Pode haver o tudo. E o nada.

Suas palavras vão sempre de encontro aos meus sentimentos. Sempre. Obrigada por verbalizar.

beijos querida,

Naeno disse...

Saranar, minha querida, um comentário favorável vindo de ti, é um alento à alma. Tu és uma poeta com o sentimento bem verdadeiro, e sabes dizer isso com propriedade poética.
Pra que mais. Foi tudo.

Um beijo
Naeno

Lusófona disse...

Que jogo de palavras!! fantástico!

Você sempre escolhe as imagens com um encaixe perfeito para os teus poemas.

Beijinhos e fica bem