PROMESSA


"Te amo muito mais do que te amara
Se é que o amor a si mesmo supera (...)"
Antoniel Campos


Somando tudo,
nada tenho a oferecer
senão a festa dos sentidos
e o som do meu riso.
Limito-me à promessa
de amá-lo suavemente
e talvez nem perceba
o fogo, o risco, a lida
e, embriagado,
só prove do mel
da minha carne viva.
Saramar

Imagem: John Galbo

4 comentários:

Daniela Mann disse...

Primeira!!!!!
Este poema termina de forma intensa quase palpável!
Esta passagem de um "amá-lo suavemente" a "minha carne viva" está sublime!

Anônimo disse...

Saramar,
Já nada me surprende em ti na poesia, és divina e uma diva.
Eu quero que não esqueça o que eu disse sobre o livro.Eu nunca atiro palavras ao vento.
Um beijo
miguel

Ricardo Rayol disse...

Tolo
Oferto-me
Em demasia
Prometo-te
Primazias
Delírios, delícias
Prova-me
Tão pouco

(uma ótima sexta)

Tina disse...

Amor assim, amor sem fim.

Lindo Saramar, não me canso de admirar seus poemas.

beijos querida e bom fim de semana.