VIM OLHAR O MUNDO



Vim olhar o mundo.
Desço às ruas
palpito nas janelas
vejo as mulheres belas
e os homens em volta delas.
Eu, que mais me pareço
com as flores noturnas
sem cheiro ou perigo,
que não atraem borboletas
nem impressionam os passantes,
engulo os mistérios das ruas.
Passo cuidadosamente,
sem desarrumar os outros sós,
sem arranhar as tramas,
os dramas de amor que,
se me lembro bem,
deixam sempre as pessoas nuas.
Vim olhar o mundo.
Saramar

6 comentários:

Mônica Montone disse...

A dama da noite é uma flor noturna e é a mais perfumada delas :O)

beijos, querida e boa semana

MM

Jussara Gehrke disse...

é assim que nos sentimos à vezes... observadores e transparentes...

muito lindo isso que escreveu

beijo
Ju

Nilson Barcelli disse...

Este teu olhar é belíssimo.
O teu poema, para além de ter uma estrutura inteligente, é dito com elegância e musicalidade, através de boas metáforas e imagens muito bem conseguidas.
"Eu, que mais me pareço
com as flores noturnas
sem cheiro ou perigo,
que não atraem borboletas
nem impressionam os passantes,
engulo os mistérios das ruas."
Dizer desta maneira que passas despercebida, não está ao alcance de qualquer um.
Quem me dera ter sido eu a escrever este poema...
Beijos.

Sandro disse...

Eu vim-te olhar a ti, e acabei vendo o mundo...
E vale sempre a pena.
Beijo

Tina disse...

Os dramas de amor sempre nos desnudam, sempre. E quando a gente menos precisa, quando a gente quer se esconder.

beijos querida, lindas palavras.

Anônimo disse...

Lindo poema, o teu olhar panorâmico de curiosa, sem nada incomodar, sem tocar, só aos teus olhos contentar.

Um beijo

Naeno

www.poemusicas.blogspot.com
www.naeno.blogspot.com