RAZÃO


Pela fresta da porta
saltam meus sonhos
soltam máscaras
saltam montes,
selvas noturnas
e se vão soltos
salvos da razão.
Saramar

8 comentários:

Francisco Dantas disse...

Bom dia, Saramar. Belo poema, marcado de aliterações contrastivas (S/T) adequadas à sugestividade do seu poema. Um beijo.

Anônimo disse...

Tens razão, Saramar!!
Beijos, José

marconi leal disse...

Aliterações à maneira dos simbolistas. Beijos.

Ricardo Rayol disse...

Esvaem-se os sonhos por baixo de frestas...

Claudinha disse...

Salvando da razão os sonhos que se vão soltos em busca de si mesma... Lindo! Beijos!

Anônimo disse...

Os sonhos, parte integrante da nossa vida.
Fica bem.
Um beijinho.
Manuel

http://de-proposito.blogspot.com/

Azzuma disse...

"Salvos da razão", lindo isso, Sarah.

Não só os sonhos que vivem longe da razão. Tudo que é realmente válido na vida não é aprisionado pela lógica, pelo bom senso e como a poesia podem morar no desvario e no extase.

Gostei da nova 'embalagem' para suas doces palavras.

Bjs, Linda.

PELADUZ disse...

Oi,

Boa tarde. Ótimo saber: Razão, quem precisa dela?

Bjs.