SOBRE A MORTE

Achado por aí, em um livro qualquer

"Oh! pequena nuvem", disse a virgem,
"peço-te que me digas
Por que não te queixas quando,
num instante, desapareces;
Então te procuramos, mas não
encontramos. Ah! Thel se parece contigo:
Dissipo-me: contudo, queixo-me,
e ninguém ouve a minha voz."

Willian Blake

2 comentários:

Tatiana Monteiro disse...

Hoje vim conhecer seu cantinho com mais calma e trazer um pouco de minhas humildes e sinceras palavras =)
Conhecê-la foi uma dádiva realmente divina, e creio que ter sua amizade foi um grande presente em momento turbulento (apesar de não parecer, com o meu jeito palhaço de ser).
Sinto-me feliz e lisonjeada por fazer coisas úteis e poder conhecer tão bela pessoa com coração tão "enorme de bom"!
Creio que tudo apenas está em seu começo, uma amizade muito grande a amadurecer =)
"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas", dizia Saint-Exupéry.
Assim sendo, espero continuar sendo responsável por muito e muito tempo!
Beijos!

Anônimo Apaixonado disse...

Vamos ao texto..... realmente as ausências nos deixam em frangalhos, perdidos e desmotivados. Mas, o tempo passa e essa fantástica experiência que é viver nos resgata e cá estamos novamente a divagar no obscuro.

Resta-me a dúvida...... Suportaria eu a sua ausência......