UM SONHO QUE SONHEI


Era um sopro na boca
era um anjo
a tocar
minha alma torta
era o calor
era um beijo
era o fogo, a flama
era o meu amor
e seu retorno,
seu entornar
era agônica vivificação
era lâmina, era chama
uma teia, uma trama,
tudo a me queimar
recozimento de gente,
era quente
e eu um barro
matéria de moldar,
era o beijo, o sopro
era o início do mundo
e o topo
e eu lá sobre chamas
era o voltar
do meu amor
em mim
a me ressuscitar.
Saramar

15 comentários:

Claudinha disse...

Era...
Lindo demais!
Beijos!

Mário Margaride disse...

Lindo SARAMAR!!

Esse teu poema, parece música!


"Era um sopro na boca
era um anjo
a tocar
minha alma torta
era o calor
era um beijo
era o fogo, a flama
era o meu amor
e seu retorno,
seu entornar"

Belíssimo!

Beijinhos querida amiga

PELADUZ disse...

Fenix,

Assim como no amor, renascemos todos os dias.

Daniele disse...

Querida Saramar,

São indizíveis palavras. Eu sinto, eu sinto tudo que flui de ti. Essas obras primas que tu nos submete é um deleite puro.

Sua poesia é uma obra prima.

Sua amizade é um acalento.

Beijos na sua alma, nobre poetisa.

Sandokan disse...

Eu sou o GUERREIRO LUZ , porque sonho. Sem sonhos, as pedras do caminho tornam-se montanhas, os pequenos problemas são insuperáveis, as perdas são insuportáveis, as decepções transformam-se em golpes fatais e os desafios em fonte de medo.

Liberta a tua criatividade e acredita, também, no GUERREIRO LOBO. Tu és uma pérola única no TEATRO DA VIDA.

Não vivo de pesadelos. Tenho sonhos como qualquer ser humano que procura a luz que nos guia. A vida envia-nos muitos sinais, basta estar atento e procurá-los à nossa volta.São muitos e enviados das mais diversas maneiras. Por isso sou um GUERREIRO LOBO, que mantendo a calma, sabe esperar e nunca ter medo.

Abri há pouco a janela
do meu quarto minguado,
entrou o vento
soprando forte
trazendo uma trova
e uma canção
com um refrão tão triste
que diz
que nunca mais te encontrarei.

Parti como um louco,
gemendo e chorando
e à tua porta bati.
Apareceste-me
bela e singela
com a tua leve candura
na face tinhas a lágrima da
desventura.

Soltei um grito de pânico,
que atravessou o oceano
e num rochedo fez eco
levado pelos anjos
que partiram para sempre.

Grito agudo e
lancinante
que transporto sempre no peito
deixando amargas liras
e a saudade de te ver.
Perdi-te meu AMOR.

Meus amigos e amigas: Aceitai o medo como que ele faça parte integrante das nossas vidas. Aceitai-o, mas não tenhais receio de AMAR. Aceitai especialmente o medo da mudança, mas saibamos caminhar sempre em frente apesar do bater do nosso coração nos lançar um grito lancinante como que a dizer: VOLTA PARA TRÁS!
As trevas da noite caem, mas a manhã volta de novo ainda mais brilhante.
Manteremos viva a nossa ESPERANÇA.

Com especial carinho para ti, dedico este meu poema.

Sou um GUERREIRO LOBO que habita as paragens das caçadas eternas do bosque da felicidade, o "nosso" :

http://lusoprosecontras.blogspot.com

Vinde até ele ouvir a minha história. É uma história de um Povo, e o Povo é simples como eu.

Deixo-te aqui, neste teu cantinho maravilhoso, um grande abraço de Amizade.

SANDOKAN

Moita disse...

Sem palavras.

muitos cheiros

Bill disse...

Era o fogo que girava o mundo...
Era... E ainda é em algum lugar...

(=
Belas palavras... Sempre...
:*

un dress disse...

:)bela ressurreição...!!


beijO.saRamaR

Só mais um Cortez... disse...

Querida Sara,
Obrigado pela tua visita e pelas carinhosas palavras.
Também estou feliz em estar de volta.
Tua poesia é intensa e linda, como você...
B-GIN

Bosco Sobreira disse...

Minha querida Poeta,
Estive sem condições de te visitar nos últimos dias. Agora, sim, estou de volta!
Um beijo afetuoso.

Angela Ursa disse...

Saramar, a paixão moldando a amante como um barro é uma imagem linda! Beijos da Ursa

Arauto da Ria disse...

Tão lindo!!!
um beijo
miguel

Mário Margaride disse...

Querida amiga,

Passo aqui para dar-te um beijinho, e desejar-te um bom Domingo.

Beijinho grande

Um Poema disse...

Desejo-te um bom domingo.

As minhas passagens são, necessariamente espaçadas, já que o tempo não estica. Quando chego vou recomeçar a leitura precisamente onde parei. É claro que não vou comentar tudo o que connosco partilhas. Seria um tanto extemporâneo também.
Digo-te apenas que é bom ler-te.

Um abraço

Leticia Gabian disse...

Muito lindo!
Cada vez mais fico rendida ao teu jeito de se expressar.
Beijinhos