MINHA CASA


Minha casa é só minha.
Nela enlangueço em dança,
abro todas as portas,
cheiro o ar,
enfeito.
Em minha casa me deito,
choro e adormeço
para acordar refeita
de tanto perfume espalhado.
Em minha casa há segredos
que só meus olhos contemplam.
Se, em alguns dias, esfria,
sei bem onde devo
pousar o fogo,
acender o lume.
Minha casa, só minha,
meu início do dia,
meu noturno aconchego,
minha casa é seu corpo,
onde todo dia me deito.
Saramar

Imagem: Klimt

Hoje tem um poema novo lá no blog do Leo. Não gostaria de ler?

12 comentários:

Leticia Gabian disse...

Perfumes, segredos, lumes acesos, aconchego...ai, como te percebo!

Beijinhos

Ricardo Rayol disse...

minha casa é meu abrigo
de paredes fendidas
esburacado chão batido
do teto carcomido
luminárias empoeiradas
iluminam meus desalinhos
da cama rota, em fétidos lençois rasgados
debato-me em desvarios
não troco por nada
esse meu abrigo.

Fiz essa réplica para teu escrito, vou publicar lá no pseudo-poemas.

JPAnunciação disse...

Permita-me o destaque:
"meu início do dia,
meu noturno aconchego,
minha casa é seu corpo,
onde todo dia me deito."
Mais palavras para quê, está tudo dito nestas suas palavras implícitas que fazem do corpo a nossa morada.

Um beijo grande.

Marcos disse...

Ah, é assim? Você dá o mote e o Rayol arremeda? Começou a dar vontade de entrar na brincadeira. Belíssimo e lânguido poema.

A.S. disse...

..."minha casa é seu corpo,
onde todo dia me deito."


Lindoooooooooooo.........


Um terno beijo!

Bosco Sobreira disse...

Minha querida Poeta,
Não dá pra extrair um verso do poema, destacá-lo, acarinhá-lo nas dobras da alma, embalar com ele nossa emoção. Não dá, tal a beleza da construção do poema como um todo. Não dá, eu sei, mas, mesmo assim, não dá pra me despedir sem levar na memória minha casa é seu corpo,
onde todo dia me deito
.
Belíssimo, minha querida Saramar!
Um beijo afetuoso.

Dono do Bar disse...

Eu sou um sem-teto, minha amiga.

Um ótimo final de semana.

DB.

Tina disse...

Oi querida!

Saudade dessa "minha casa". Saudade. E você verbaliza... Eu? sem palavras.

beijos querida e obrigada pelo carinho com a Blue Moon.

Mário Margaride disse...

Como é aconchegante esta tua casa Saramar.

Então este belo poema...nos deleita, com todo o se esplendor.

Adorei!

Beijinhos

Pedro Paulo Pan disse...

, casa da gente é outra história, não é ?
, agradecido pelas palavras.
, abraços meus.

Bill disse...

Minha casa... Meu castelo nesse mundo torto... Onde o silencio fala comigo e os vazios me preenchem...

Cada da minha alma (=

Nha palavras belas sempre dona poeta (=

Beijos e ótimo fim de semana pra tu.

:***

Sônia disse...

Minha casa é meu reino!
Belíssimo Saramar!


Um ótimo fim de semana!