JOÃO E MARIA


Tantos caminhos abriu em meu corpo
tantas lendas de me desvendar.
Era vereda, era caverna, era floresta
ou vice-versa.
Perdido, voltava sempre
por onde já provara antes
e, antes, se perdera.
Mudos, o susto e outros rumos
em medo, em mel, tanto desatino!
Todos os caminhos abertos
sem jeito de voltar,
perdido, perdidos, entre
murmúrios nestes mundos.
Seu feitiço, meus ais, a medo, a fogo,
o céu, a sede e o sabor que, estranho à boca
chove-se em seiva...
e se farta
e me sacio
enfim, reencontrado o caminho.
Saramar

Imagem: Nicoletta

22 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Este seu poema é magnífico.
É muito elaborado e as suas palavras como que vão furando, penetrando na floresta até encontrar, saciadas como a autora, o caminho perdido.
Gosto da sua poesia.
bom fim de semana, beijinhos.

O Meu Jeito de Ser disse...

Muitas vezes o amor, o outro é um porto seguro. Mas aí já é um prêmio.
Estamos sempre a procura desse porto seguro.
Um beijo e bom final de semana.

Nena disse...

João e Maria não estão perdidos pelo caminho, estão sempre se buscando...

(posso te linkar? realmente gosto daqui!)

abraço forte

Bosco Sobreira disse...

Minha querida Poeta,
Não me canso de beber da tua emoção. Não me canso de caminhar nessa emoção.
Tua poesia me enleva. Nos enleva.
"Tantos caminhos abriu em meu corpo
tantas lendas de me desvendar."
Ainda vou transcrever toda tua poesia!
Um beijo afetuoso, minha querida Saramar!

un dress disse...

o céu, a sede e o sabor que, estranho à boca
chove-se em seiva e se farta e me sacio
enfim, reencontrado o caminho.

apetece-me ser ecO...


doce beijO

margusta disse...

Querida Saramar,
...tua poesia continua maravilhosa!
Amei o poema !

Beijinhos e saudades de ti!

Escorpiana Explosiva disse...

este poema e imagem estão maravilhosos.

cadinho RoCo disse...

Há sempre um novo caminho.
Cadinho RoCo

Moita disse...

Ué! a Moça sumiu.
Deve ser uma ocupação que só a elas cabe.

Vou mandar alguns cheiros nervosos.

Mário Margaride disse...

Mais um belíssimo poema Saramar!

Terno, sensual, carinhoso...
Tal qual a dona destas mãos...que tão belas palavras escreve!

Lindo Domingo
E um grande beijinho

Dora disse...

"João e Maria" tiveram uma re-leitura sensual, com João desvendando os caminhos e reencontrando-os, de uma forma que sabe a feitiçaria...E essa feitiçaria e esses rumos estão belissimamente descritos!
Bravo! Saramar.
Beijo você.
Dora

Riccardo Joss disse...

quem é a Nicoletta que pintou essa mulher barriguda? ;-)

Kalinka disse...

Olá
Achei interessante e maravilhosa essa sua poesia.

Senti os dons da terra e cheirei os seus aromas, misturei-me com os sons do mundo sem coisa alguma...fui durante 4 dias de mini-férias para o Alentejo profundo.
Comecei por Estremoz e fui em seguida para Évora e daí em diante.

Pelo kalinka poderás ler sobre o meu «Même»:
"Para ser grande, sê inteiro:
nada Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim, em cada lago a LUA toda
Brilha, porque alta vive.
"Ricardo Reis"

Beijinhos.
Boa semana.

Angela disse...

É tão bom quando os amantes se perdem um no outro!...

Saramar adorei! Gostaria de saber como tu manipular tão bem essa matéria prima que são as palavras!

Um grande beijinho de quem te admira muito!

Silvio Vasconcellos disse...

Melodiosamente sensual... Já me faltam adjetivos! Lindo!

diovvani mendonça disse...

Reencontrar o caminho, antes perdido, é sempre bom - ainda mais quando o caminho nos revela poesia-vida, onde não havia. AbraçoDasMontanhas.

Daniele disse...

Minha querida amiga Saramar,

Nessa dança de palavras, nesse turbilhão de emoções que afloram e
que você deixar fluir na poesia é de uma beleza infinita. A sua forma como reescreveu João e Maria com toques sensuais está brilhante.

Beijos na sua alma,
da amiga que muito lhe quer

-O meu post de hoje eu dediquei à você.

P.S.: Adoro quando me chama de Dany, pois só uma pessoa a qual amo demais, me chama assim!

Ricardo Rayol disse...

Bárbaro, que cadência, que ritmo... adorei gurua.

Élcio disse...

Como num ciclo vicioso, roda-viva!
Fantastico a imagem mental criada!
É isso ai.

Silvio Vasconcellos disse...

Saramar, eu não poderia deixar de voltar aqui para anunciar que depois de acabar com o uni-verso, criei um novo espaço que alia imagens, som, movimento e poesia:

http://videoeverso.blogspot.com

Enfrentando a inquietante paralisia que ocupa o verso da poesia



Te vejo lá!

Tania disse...

Olá Saramar,

Me encantei com as suas poesias. É sempre um prazer encontrar lugares como este, inundados de sensibilidade... obrigada por compartilhar.

Felicitações e um abraço,

Tania

delusions disse...

"Seu feitiço, meus ais, a medo, a fogo,
o céu, a sede e o sabor que, estranho à boca
chove-se em seiva...
e se farta
e me sacio
enfim, reencontrado o caminho."

...

é preciso encontrar o caminho...nem que seja apenas a busca que nos faz caminhar..gostei do poema e da fotografia.

bjinhos bom fim-de-semana*