SÚBITO


Nem posso dizer que fui feliz
não houve tempo para nada
enleada de suas palavras
envolta em desejos e sonho.
Nosso amor foi revoada
de pássaros em migração
ou miragem desses meus
sentidos cansados de tanta solidão?

Não houve tempo para nada
nem sei que músicas embalam
seu sono sem mim.
Nem sei sonha ou se passa a noite
em claro, como tateio a madrugada
de saudade em saudade.

Inesperado, veio e se foi, súbito.
Pouco conheci de suas mãos
senão o fogo onde ardo, deixado
assim como nada, em meus vãos.
Pouco entendi dos silêncios seus
e, das palavras todas que me disse,
apenas uma ouço agora: Adeus!
Saramar

11 comentários:

Moita disse...

Lindíssimo.

Dizer isso é pleonasmo.

centenas de cheiros

Um Poema disse...

Dolorosamente triste a despedida.

Um abraço

Daniela Mann disse...

"nem sei que músicas embalam
seu sono sem mim."
Lindo, brutal!

Bosco Sobreira disse...

O poeta é aquele ser especial que consegue fazer da beleza o belo, da alegria o alegre, da tristeza o triste.
Poetas são anjos. Como você!
beijos, minha querida poeta maior!

Mônica Montone disse...

Ai! Que triste!

beijos, querida e bom fim de semana

MM

Claudinha disse...

Olá! Lindo, triste! Há amores que se vão assim, rasgando a carne, deixando o outro cheio de vazios imensos de tudo o que ficou... Beijos! Você como sempre supera as expectativas...

PELADUZ disse...

Não há revoadas de pássaros.
Não existe seus passos, que despertem a madrugada.
Tudo dorme, é o silêncio que não me deixa fechar os olhos e sonhar.
Faltam o ruído do teu chegar.
Por favor, te faz miragem, desperta-me agora.

Sônia disse...

É duro dizer Adeus...




Bom fim de semana Saramar!

Machado de Carlos disse...

Como vai você? É bom vir aqui para me deliciar de palavras maravilhosas. Precisamos disso de palavras que enchem o nosso coração de alegria, paz e amor.

margusta disse...

Quando forem ver o mar, e sentirem um forte cheiro a maresia, lembrem-se de mim...estarei sempre por lá!...eu sou Mar...Margusta...

Abraço-Vos com emoção!!!...

sueli disse...

Adeus é mais que dor, é tortura de alma ...