POETA?


Faceira,
Enfeito-me de máscara,
Alforje frágil de línguas.
Palavras.
Não sou poeta.
Finjo e nem isso sei fazer.
Um rabisco aqui e ali
e minhas faces surgem ou
somem em algum papel.
Faceira ou ferida,
misturo palavras.
Saramar

Imagem: Annika
Hoje há um poema novo lá no blog do Léo

6 comentários:

Mário Margaride disse...

Olá Saramar!

Lágrimas de dor...
Ou de alegria!
Vá diz lá,
Faz um pouco de magia.

Beijinhos.

Manoel Carlos disse...

Faceira, mas não petimetre.

Nilson Barcelli disse...

Muito bonito este teu poema.
Gostei de o ler.
A foto foi bem escolhida, claro.
Beijos.

Sônia disse...

Muito bom Saramar!
Lí também "solidão", adorei!


Bom dia!

Bosco Sobreira disse...

Não sou poeta! Imagina se fosse, minha querida poeta.
Beijos afeuosos

Mutações disse...

Nossa!Estas linhas puseram-me nú, tal a identificação.Saudações.