QUE NÃO MAIS SEJA, A DOR...


Cantar os mortos,
contar os mortos.

Que minha voz morra também
para sempre e antes deste carpir
antes de numerar a inominável incoerência
:
o homem matar o homem.

Que me caiam os olhos antes de ver
homens mortos pelos homens.

Que se lance aos cães minhas mãos vermelhas
da outra cor da negra tez, aberta aos borbotões.

Que se velem meus ouvidos para sempre
com o lancinar do grito das mulheres.

Que não mais seja, a dor de tanto ver
que cada homem não morre sua morte,
de ver a morte aos quilos, por atacado,
pelo ataque do homem, morto pelo homem.

(lamento pela paz)

Saramar

10 comentários:

delusions disse...

Um lamento-grito-denúncia necessário... Infelizmente...

Bjinho*
Bom fim-de-semana

Tiago disse...

Alguém, que não me recordo agora, já disse: "O homem é o lobo do homem". Cada vez mais vemos essa lógica bárbara e famigerada, uma violência disseminada, banalizada, como liricamente fala teus versos, é triste, mundo cão!

Beijos.

Brancamar disse...

Versos que são um grito necessário contra a crueldade de tantas mortes desnecessárias.
Cheguei hoje pela primeira vez ao seu blog. Gostei.
Vou voltar.
Beijo

Cristiane disse...

Querida Saramar,

Vir aqui e ler tão belas poesias é um belo e generoso presente, sempre...

Falamos de paz, pedimos paz...

Que ela esteja na sua vida, sempre querida!

Beijo carinhoso,Cris

O Profeta disse...

Uma cartola de papel
Guarda o sortilégio, a emoção
Um passo de mágica ao acaso
Às vezes solta luz ao coração

Mágico fim de semana


Doce beijo

Erika disse...

Paz, querida. em todos os corações.


beijos

Santa disse...

Sara,

Além dos teus poemas incríveis e as imagens, o blog está cada dia mais elegante! Fico cá com meus botões pensando no "meuzinho" rsss

Bjs

Moita disse...

Voltei dos mortos.
Sem nenhum tempo.
Se avisar os amigos,
fico-lhe muito grato.
Continuo sem tempo.

Anônimo disse...

Saramar.
Falaste por mim também. Obrigada!
Elizete

Ana disse...

Lamento

Doi demais!

Contigo