ANTES


nem sempre fui triste

antes de você,
eu sabia sorrir
era proa de barco, era dona do mar.

antes de você,
eu era a estrela do meu encenar.

hoje sentada na última fila
falo de mim para mim
e mal ouço meu murmurar.

Saramar


Imagem: Da Vinci

18 comentários:

Ricardo Rayol disse...

um completo e triste abandono esse

O Profeta disse...

Nesta terra molhada
Perdeu-se um beijo na tua procura
Os lagos guardam os segredos do tempo
Lavam a inquietação da tua alma pura


Passei para me inebriar com os teus sentires…


Mágico beijo

Bill disse...

Você sempre vai ser a dona do mar, Saramar!
Bjuuusss!!!

alessandra disse...

Alguém Outro entra no palco e rouba a cena, como que fosse diretor de todos os atos, e quem era proa de barco também se põe a ser mar... na última fila se posiciona num lugar outro... já se sabe que desse lugar mal dá para (se ouvir). E quanto a ser ouvida? A voz do poema é muito clara e ouvida! Quem entende!!? E a imagem está bem a calhar... Adorei! beijo imenso!

Brancamar disse...

Lindo, muito sentido!
A poesia é sempre um momento de criação, tirado do fundo da alma, transcendente.Umas vezes triste, outras cheio de luz...
Gostei muito.
Beijinho

Helena disse...

Obrigada pela visita, querida Saramar. Lindo micro poema. Na Malasia estamos sempre juntos e sozinhos. Na última fila e no palco. Encenando a mesma peça - absurda e simples - a paixão.

beijos,

Helena

Cadinho RoCo disse...

Rápida e afiada.
http://cadinhoroco.sabrisweb.com

Erika disse...

pois resgate o antes, quando se amava acima de tudo.

lindo, como sempre.

beijos queridissima

Márcia(clarinha) disse...

Mas o antes é antes, agora busque seu sorriso, nem que seja no lembrar.
dias lindos doce Saramar
beijos

Chiko Kuneski disse...

Triste mas belo. E no fim da fila sempre se pode sonhar outro lugar nos primeiros acentos.

Raquel disse...

ah estar só também é bom!!! Claro que nos primeiros dias a impressão é esta mesmo, de estar no olho de um furacão, mas com o tempo ja verá... não há nada que não volte ao seu lugar... :)
Lindo poema, olha voltei desde ontem, se pode passa por lá...
Bijos!!!

Bill disse...

Hoje, os silêncios me tomam e tudo se perde com um único olhar...

Mas como o mar... tudo vai... e volta...

Beijo e sorriso dona moça

:*

Anônimo disse...

ôi Sara,

Já tentei enviar mensagens para você e acho que ainda não conseguí fazer com que cheguem, sempre vejo comentários seus no Blog do Zé e consigo identificar-me com suas palavras, gostamos de coisa muito parecidas...como acredito que há sempre uma possibilidade de encontrar pessoas e transformá-las em amigos...continuo tentando, quem sabe um dia dá certo!
Beijos,
Rita Maria

São disse...

Boa maneira para combater a violência contra a mulher.
Obrigada por ter aderido à campanha que lancei.
Bom fim de semana!

Mário disse...

Tudo bem, até entendo. Mas que não vale a pena, não vale mesmo. Melhor voltar a sorrir.

Alice Matos disse...

Lindo...
Lembrei tempos em que, olhando-me no espelho, sentia que meus olhos já não sabiam sorrir...

Beijos para ti...

Marilac disse...

Lindo poema triste, infelizmente alguns amores nos deixam assim..

bjs

Marilac

MUTUMUTUM disse...

Puxa... abandono e solidão mexe mesmo com nosso coração e nossa alma, né mesmo? É um problema se entregar aos braços de alguém... é necessário refletir, pensar, refletir, pensar... vai que essa pessoa nos abandona :o

Amei o post. Melancólico, mas bonito :)

Abraços o/