Amantes de outonos ou dos pedidos ao tempo


É de outonos que me disfarço,
vento na manhã,
o tempo violando cortinas,
passos tangidos na premência de ser já primavera
colorindo estes muros mortos de sono.

Nas calçadas inelutáveis dos dias,
ao som dos saltos e do gemido das folhas,
o vento se despedindo do que fora árvore
sonho o destino dos pássaros, alto,
de caminhar entre o vento.
(e chegar, enfim, aos teus braços).

Nos outonos de que me visto,
nunca te esqueço e, como pedes,
peço ao tempo as horas maiores
de voltear em teus braços
frágil fêmea em flerte,
nas mais tontas danças,
o vento voluteando-nos.

Eu peço ao tempo, o maior do dia
a hora mansa e quente
os chãos de amar
em cores de amantes,
semelhantes, todos semelhantes
no querer.
peço ao tempo, o tempo de te encontrar.

Saramar

Imagem: Bouquereau

Também estou aqui.

14 comentários:

Ricardo Rayol disse...

queria eu poder escrever algo para essa estação

Nilson Barcelli disse...

Vc escreve como poucos.
O seu poema, a oscilar entre o outono e a primavera (hemisférios distantes...?), é uma delícia para os sentidos.
A foto, vou roubá-la. E não roubo mais nada porque me podia afogar com tanto peso ao atravessar o Atlântico...

Bom fim-de-semana, beijinhos.

Kagahn disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
multiolhares disse...

O tempo , vai encontrar o tempo para amares
beijinhos

Tigrão disse...

Querida Saramar,

Que maravilha de poema, e feito assim a pedido, fica muito mais delicioso ainda.
Poderia me embriagar com estas palavras que estaria no paraíso.
te amo
bjs

BANDEIRAS disse...

Bom dia querida amiga,

Estou ouvindo From Russia with love, enquanto leio o post, somente não posso revelar em quem penso, eu me trairia.
Faça este teste você também, e não haverá dúvidas quem é o dono do teu coração.
bjs

Moita disse...

Um dos mais belos que já li.
Vou agorinha fazer uma pequena homenagem à minha poeta preferida, lá na Moita abandonada.

Muitos cheiros.

Bill disse...

Tempo de chuva de folhas e amor dentro dos olhos...

Tão bom passar por aqui e sair sorrindo.

Beijo dona moça e ótima semana

:*

Sônia disse...

Lindo de morrer Saramar!


Bom dia!

Janaina Staciarini disse...

O meu amante é do ano inteiro... mas o seu do outono é simplesmente lindo... como sempre.

M. disse...

E no outono me perdi do meu amor...
dias lindos doce Saramar
beijos
Márcia(clarinha) de casa nova

Moita disse...

Você me pede pra publicar no "abrindo Janelas".
Você pode tudo.

outro cheiro.

Akinogal disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Tina disse...

Oi Saramar!

Outono é inverno em meu ser. É viver. Minha estação preferida, poderia durar o ano inteiro. Seus poemas lindos também. Obrigada.

beijo grande,