VEM, DOCE AMADO


"Por que me descobriste no abandono
Com que tortura me arrancaste um beijo".
Chico Buarque


Vem, toca minha mão
e a noite se esvai
em outros tons,
estrelas que caem
aqui do lado
e iluminam como fogo,
o fogo de tuas mãos.

Vem, cobre-me o peito de ais
e um vento perturba a madrugada,
o doce tormento de quem quer
ter em si, o mundo
e a ele se entregar
como me entrego a ti.

Vem, doce amado
e leva-me do profundo sono
à aurora aberta dos teus beijos.

Saramar

13 comentários:

Alice Matos disse...

Lindo, Sara... amor em pura essência...

Beijinhos para ti...

Bosco Sobreira disse...

Mais um belo poema, pra variar.
Belíssimo.
Um beijo afetuoso, poeta querida.

moacircaetano disse...

paixão!

Tiago Moreira disse...

Doces chamados, deleite de poesia a nos encantar.

Beijos.

Deassis disse...

Com açúcar e com afeto.

de proposito disse...

Vem doce 'Amado'. _Não me digas que estás apaixonada pelo 'AMADO', ou é por ele ser pessoa importante.
Que tudo esteja bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

Sônia disse...

Isso é que é amor...
Lindo Saramar!



Bom dia!

luma disse...

Como uma oração de chamamento!
Para o amor estamos sempre prontos!
Há quem diga que não, mas isso é uma outra história. boa semana! Beijus

O Árabe disse...

Nada a comentar. Antes calar, para melhor sentir a beleza dos versos...

MUTUMUTUM disse...

Nusss... um poeminha cheio de sensações o/

Adoro isso aí :)

Beijão ^^

Naeno disse...

Lindo poema. Poeta de carne e sonhos. Poetas das incontidas investidas no encalço do amor, das margaridas, das borboletas, dos seres bons que andam por aí.

Beijo no teu coraçãozinho
Naeno

un dress disse...

cantiga de amigo...

ou talvez de salomão.





lindo!

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Lindo!
... quisera ainda ter um amor assim!
beijos