PARALELAS


Imaginaste o som do sol
em canto, se cantar soubesse.
Imaginaste sombras de sementes
e o amor, se assim nascesse,
flor, fruto de esperança ou sangue.

Imaginaste nascimento e morte
em orgasmos ou risos, possíveis.

Imaginaste tu e eu
na dança desmemoriada dos felizes.

Imaginei te amar somente
e o vão das horas, o chão.
Nenhum desvario da carne,
ou corte de suicídio.
Só calma.

Quase nos tocamos,
no cansaço de ser o que somos.

Depois de tudo passado,
penso no que não te mostrei,
o denso mar que há em mim
e que poderia ter mostrado.

Saramar

Imagem: Douglas

17 comentários:

MamaNunes disse...

Ah...Saramar....eu
vivo à beira do mar, de frente para única e intacta floresta brasileira, a Mata Atlantica, não sei dos caminhos da vida, de Deus....vida, vida no sentido mais exato...
Saramar, me socorre...

Pedro Pan disse...

, dança desmemoriada e vocês a imaginar... a dançar... e a amar...
, beijos meus e feliz 2008!

Sombra do Sol disse...

Olá boa tarde, belissíma poesia parabéns. Desejo que consiga ouvir o cantar do sol ao nascer, e deixar o som suave de uma melodia
para que você possa mostrar todos os encantos que abitam seu ser. Tenha um excelente fim de semana com muita paz, saúde e luz. Abraços fraternos do amigo.

Lusófona disse...

««Depois de tudo passado,
penso no que não te mostrei,
o denso mar que há em mim
e que poderia ter mostrado.»»

Muito profundo... arrepender-se de algo que não fez é difícil..


Beijos querida

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Olá
Lindo o seu blog...
Poetas é ser diferente, está sempre a sofrer... pelo beijo que não deu, pela palavra que não disse, pelo que não mostrou...
Mas também o que seria de nós sem essas chagas?
Vou te add no meu blog.
Abraços

cilene disse...

vc ja pensou fazer uma selecao dos seus poemas e publicar. Vc tem poemas bonitos demais.. bom domingo
www.cilenebonfim.com

Márcia(clarinha) disse...

No afã da paixão muita coisa é esquecida de dizer...[e mostrar]
dias lindos doce Saramar
beijos

Lia Noronha disse...

Saramar: que todo esse devaneio te leve sempre ao encntro do amor...expressao sincera de vida!
Beijos bem carinhosos da amiga que te adora.

un dress disse...

nunca sabemos por onde ir...

esse o encanto

esse também o risco.





deixo-te um abraÇo e um beijO sara! :)

solidários...

Moacy Cirne disse...

Confesso que apareço pouco em seu blogue, mas quando o faço, sinto uma boa sensação de poesia e sentimento. Abraços.

Sombra do Sol disse...

Olá boa noite, passando para desejar uma semana repleta de realizações, com muita paz, saúde e luz. Abraços fraternos do amigo.

Bill disse...

Hum!!!

Imagino... Suas palavras me deixam imaginar... E sonhar.

Lindo lindo, palavras maravilhosas.

Beijo e ótima semana

:*

Natália Nunes disse...

Saramar, mas que maravilha esse texto!

"dança desmemoriada dos felizes."
"Quase nos tocamos,
no cansaço de ser o que somos."

Gostei demais desses trechos.

Lindo, lindo :)

Brancamar disse...

Poema muito lindo Saramar."..o denso mar que há em mim/e que poderia ter mostrado." é assim como que a saudade do que não se deu. Todos nós temos às vezes uma imensidão de vida dentro de nós e nem sempre a oportunidade de a dar.
Muita vida e muito amor para ti.
Beijinho

Bill Falcão disse...

Pois é: bobeou...
Bjo!

Tina disse...

Oi Saramar!

Mostrou em versos, disse tudo.

beijos querida e boa semana,

Chuvinha disse...

Muitos passam o tempo sem se revelar...o tempo passa,se esgota e nao ha como voltar.