(DES) LAMENTO


Para que se lamentar?
Toda história de amor vai embora
depois de um tempo,
cansada de ser sempre no mesmo lugar.
Toda história de amor precisa de outro ar,
espinhos novos, outras nuvens que colher.
Trançam no ar enredos iguais e outros
seres encenam seus quadros e vagueiam
nos entreatos, borboletas sem jardim.
Não vamos chorar, não mais
que lágrima só se for de amor
e ainda assim,
escava vales no peito
e reparte a sombra.
Vamos abrir os olhos e passeá-los,
sem molduras, sem medos.
Vamos vaguear entre histórias de amor
e, quem sabe, assim,
um clown de face manchada,
um acendedor de fogos, sem alarme,
sem sapatos, desenquadrado,
impeça nossos olhos de fugir,
mas não de se incendiar,
em luz e fogo de outra história de amor.

Saramar

Imagem: Jacob Lawrence

11 comentários:

Deassis disse...

Nada como um poema iluminado para apagar o escuro de outro poema pesaroso...

Tiago Moreira disse...

Parafraseando um velho ditado:
Nada como um amor após o outro, a vida é uma eterna busca, permeada de desafios e descobertas.

Lindas palavras, como de sempre.

Beijos.

Jôka P. disse...

Poderosa sensibilidade, Saramar !

Chuvinha disse...

E preciso amar com cautela, com fogo e com agua para apagar...rs.
Vim agradecer a visita e dizer que o teu comentario foi perfeito!Sim...ja nos esbarramos em outros blogs e apesar da falta de tempo( de ambas) finalmente nos encontramos!

Bill disse...

Um acendedor de esperanças...

Grandes fogueiras se acalmam, mas sempre a brasa para recomeçar...

Nha belas palavras... sempre.

Beijo

:*

rosasiventos disse...

não sei não sei...:)

Luiz Valério disse...

Lindo poema. O amor é mesmo assim: vem e passa e deixa a alma rasa.

FINA FLOR disse...

como dizia aquela canção brega: adeus também foi feito para se dizer, bye bye

rsr*

beijos, bela e bons recomeços, sempre

MM.

Claudinha disse...

Ah Saramar, é assim mesmo... E tem uma frase sua que jamais esqueci, algo como: "Por que não avisou que ia doer?" ... O amor é sempre luz e fogo!
Beijos!

Falando de Amor disse...

O amor está sempre a espreita de um coração que lhe dê guarida...linda poesia querida, bjos poetisa!

Defensor disse...

...perfeito!