NÃO É AMOR


Não é amor o que me atormenta
e como poderia, se ando nua
e gélida, abrigando o medo
para me conter, para não dizer:
vem, aquece minha cama
que sem ti, rasgo o corpo
sem enlanguecer?

Não, amor não pode ser
esta noite que me habita,
cegueira da casa, da xícara
entre minhas mãos percebida
depois que queima.

Se fosse amor, tudo que queima e tarda,
não me atravessaria o inverno,
constante como um amante
que no meu sangue se aquece
querendo não ser.

Frio, de tanto frio, não é o amor.
Disseram que é um fogo, uma crepitante rosa
então que desenho é este,
nos meus olhos profundamente rabiscado,
um círculo azul de neve,
um círculo ártico,
a breve sombra de alguém
que me cega e arde?
Saramar

Imagem: Tom Murphy

17 comentários:

cilene disse...

E a paixao,amiga

Chiko Kuneski disse...

Esse poema combina bem com o dia que to vivendo. Cinza. Mas é de uma beleza de nevasca e gela os olhos para aquecer o espírito.

Cecilia disse...

Gostei do poema!
Muito bonito seu blog!

Bjs

Dora disse...

Bonita essa forma de ir negando o que se sabe que é afirmativo...Esse jogo de contrastes. Esse jeito peculiar, só seu, de falar de amor.
Esse seu "intimismo"dolorido ao falar de sentimento é que encanta a gente, Saramar!
Abraço forte!
Dora

Ricardo Rayol disse...

não é o amor, é a tristeza de tua ausência.

Márcia(clarinha) disse...

Amor não machuca nem dói, o que arde é paixão...essa sim, desassossego.

lindo dia doce Saramar
beijos

Mimi disse...

aff, mulher, que baita coração vc tem!

perco o fôlego por aqui.

beijo de inverno

Moita disse...

Eu ardo. rss

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Sara, belíssimo poema, sublime... Adorei ler e reler...Parabéns, bom fim de semana,
beijinhos,
Fernandinha

Moita disse...

Arderei sempre nas impossibilidades.
Já pensou nos encontros, nos encantos,
em vários cantos, no acalanto
de uma provável brevidade.
Dado que o desencanto
antecipando-se ao pranto,
pra rimar um tanto ou quanto,
matar-me-ia de saudade.

Muitos cheiros à nova Cecília Meireles.

Anônimo disse...

Saramar, esse está demais. Quantas imagens! E esse "nua e gélida para me conter", que parece antitético, vira eixo motivador de uma explosão de figuras realmente interessantas. Adorei. Um beijo. Boa Semana.Francisco Dantas.

Zeca disse...

Não, não pode ser amor. Só pode ser paixão. Daquelas que nos tiram o chão, nos tiram do eixo, nos queimam por dentro.

Vinicius disse...

Lindo demais seu cantinho..rsrs gostei demais! venha até o DIARIO tbm e esperamos q vc goste ta bom!... Olha só agora eu quero pedir pra vc uma força um tanto romantica...la no PALACIO REAL...esta tendo uma votaçao pr principe e princesa e eu queria muito ganhar junto com a minha namorada Nizi...por isso peço pr vc essa força...corre lá por favor e vote assim...NIZI PRINCESA E VINI PRINCIPE...AMBOS DIARIO DE UMA PAIXAO...por favor vote na gente???..rsrs caso vc possa vai ai o endereço!... http://kukula.sites.uol.com.br/salaocultural.html É ISSO SE VC PUDER NOS AJUDAR!!..MAIS OLHA O CONCURSO TERMINA DIA 27 HOJE!!...CORRE POR FAVOR ...RSRSR UM BEIJO GRANDE!..ÓTIMO FDS! Viini & Nizi

Moacy Cirne disse...

Textopaixãoquenturamor: tudo vale a pena etc. e tal, como dizia o grande Pessoa. Abraços.

Tina disse...

Oi Saramar!

Não... não é o amor que atormenta: é a falta do amante = aquele que ama.

Lindos versos, como sempre.

beijo grande e boa semana,

* hemisfério norte disse...

na minha sombra
te possuo
nos teus braços
adormeço

bj
a.

DE-PROPOSITO disse...

Não é amor.
Bem, se não é, nada há a fazer.
Beijinhos.
Manuel