DAS HORAS QUE PASSAM, LEVANDO OS SONHOS


Visitam-me todas as horas,
as antigas, as novas
tomadas de ti
que nem te lembras.
Abrem portas, lêem versos
bebem dos copos só meus.
refazem os ruídos de teu acordar
os olhos ainda sonhando sob o sol.
As horas do amor, já antigas,
passeiam lentamente pelos meus quartos vazios.
Pesam seus passos como o tempo
deixando um aroma frio
cobrindo de pó o meu corpo.
Passam as horas, em seu perene caminhar
deixando cerradas as cortinas.
Vão-se as horas levando meus sonhos,
folhas indo com o vento...

Imagem:Matt Callow (Flick)

15 comentários:

Ricardo Rayol disse...

esse vagar triste quase fantasmagórico.

un dress disse...

flutu ânsia

de estrela quase

calada






beijO

scaramouche disse...

parabéns pelo blog.

Zeca disse...

"As horas do amor, já antigas,
passeiam lentamente pelos meus quartos vazios."

Taí um dos mais lindos versos que lí ultimamente!

Não paro de ler este poema! Belíssimo!

Beijos. Carinho.

Daniela Mann disse...

Maravilhoso!
As suas letras são sempre belas.

scaramouche disse...

obrigado pelas palavras.

scaramouche.

TCHI de Tchivinguiro disse...

Que novos sonhos em ti possam aconchegar-se.

Beijinhos.

Moacy Cirne disse...

Belas palavras, imagens belas: sensibilidade & poeticidade. Abraços.

Meg (sub Rosa) disse...

Saramar, ainda devo uma visita mais calma e com leitura mais atenta e mesnos "sensibilizada".
Impossível ser crítica diante de tanto sentimento.

Mas volto depois, querida.
Sei que a qualidade jamais vai mudar.
Em troca, eu sim, ficarei melhor, menos doentinha.
Um beijo e muitas saudades, querida.
Você continua excelente.
Obrigada por todo o carinho
Meg

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Olá Saramar
Andei ausente por estar em outras terras... saudade da sua poesia.
Coloquei seu blog nos meus favoritos, espero que não se importe.
Abraços

Lia Noronha disse...

Saramar: seus sonhos poéticos nos levam longe demais...sempre!!!
Bjus carinhosos pr ati.

Tina disse...

Oi Saramar!

As horas levam sonhos que a nossa imaginação insiste em continuar a criar... menos mal.

lindos versos,

beijo grande.

Lunna Montez'zinny disse...

Folhas indo com o vento...
Que delícia navegar numa noite igual a esta e encontrar esse horizonte. Belos versos.

ana rüsche disse...

olá!

muito obrigada pela visita! meu e-mail é o anarusche_gmail.com: manda-me o teu que receberá os invisíveis.

um grande beijo e até mais

Anônimo disse...

# Abrem portas, lêem versos
bebem dos copos só meus #

demaisss

beijo



andressa
http://lakyan.blogspot.com/