TUA AUSÊNCIA


tua ausência não me deixa.
se me invento livre,
eis que chega, invade o tempo.

tua ausência já longa
é sombra para sempre,
é dor de todo dia.

Se me reinvento triste,
o perfume de tua boca
resvala em mim, lento.

Tua ausência é o tormento
da terra à espera da chuva,
que, ao final, morre,
de tanto que ardia.
Saramar

13 comentários:

Alessandra disse...

Nossa! Lindo e forte! A presença se fazendo pela ausência. Grande beijo!

Ricardo Rayol disse...

de uma tristeza ...

Anne Baylor disse...

uauuuuuuu...
Morrer..
De arder...
Ai..
Que ausência doída...

beijo Saramar, querida.

Cristiane Moreira disse...

Amo poesia e essa tem tudo a ver com o momento que estou vivendo.

Parabéns pelo blog!
Fique na paz!

Zé Carlos disse...

Lindo poema Sara querida.
Um doce final de semana para ti...
Bjs do ZC

Mário disse...

Certas ausências são insuperáveis mesmo. Bom final de semana.

Zeca disse...

Saramar,

num momento de nostalfia estou sentindo a dor deste poema ardendo em meu coração.

Beijos.

Zeca disse...

desculpe a nostal f ia... mas a sombra dessa ausência anuvia meus olhos e adormece meus dedos.

BANDEIRAS disse...

Boa noite amiga,

Sentimos saudades, todos nós, você canta por todo mundo.
bjs.

Tina disse...

Oi Saramar!

De saudade e de vontade de ter - eu ando perdida. E seus versos me fazem me achar. me reinventar. e chorar.

beijo grande querida, obrigada por dividir.

afonso disse...

a tua presença entra pelos sete buracos da minha cabeça

Bill disse...

Tua ausência es em mim, febre, onde o delírio me faz imaginar-te por toda casa....

Ausência sempre amarga...

Beijos dona moça e ótima semana..

:*

Naeno disse...

Linda poesia. Tu tens o jeito de um mestre de obras e a sabedoria dos operários construção acima.

Um beijo
Naeno