NOITE, DIA....


É madrugada.
seu nome anda em minha boca
e as estrelas,
atrizes,
fingem não perceber
meu canto triste.

o dia espera,
como se toda solidão
pendesse das cortinas
e pudesse se soltar
ao amanhecer.

Que sabem os astros
do percurso entre a noite e a manhã?
Andam por lá...
das minhas dores, inocentes.
(destas, só eu sei).
Saramar


Imagem: Chagall

15 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Soberbo poema cara amiga.

"... as estrelas, atrizes, fingem não perceber meu canto triste".
Gostei da imagem.

Bfs, beijinhos.

Ricardo Rayol disse...

voltou com força total minha gurua.

un dress disse...

... sa be mos todos ...

as estrelas...é que talvez não.





.beijO

Zeca disse...

Saramar,

depois de um girpo por Lisboa ao lado de Ricardo Reis, um triste e solitário canto, sob a luz das estrelas, ainda à procura da esperança...

Beijo. Carinho.

Zeca disse...

Desculpe a distração. Quiz dizer: giro por Lisboa.

Beijo.

Angela Ursa disse...

Saramar, vim ler seus poemas e desejar uma ótima semana! Beijos da Ursa :))

Sônia disse...

É...cada um sabe a dor e a delícia
de ser o que é.



Bom dia Saramar!

Cristiane disse...

Saramar, vir aqui é sempre muito bom!
Tem um presentinho para vc la no Fragmentos tá?
Beijo carinhoso e uma semana iluminada, Cris

Anônimo disse...

Amiga, que lindo; quanta inspiração. Um poema lindo assim é um achado raro, às vezes com trabalho na busca da forma mais adequada. Um beijo. Boa semana. Francisco Dantas.

Brancamar disse...

Lindo, muito lindo este poema! Hoje toca-me especialmente.
Dizer mais é excessivo para a beleza deste momento.
Beijinho

Tina disse...

Oi Saramar!

Meus dias e minhas noites agora esperam. E enquanto espero leio com alegria versos teus. Versos/palavras que me elevam, tenha certeza. E agradeço.

Obrigada pela presença na minha ausência: você fez toda a diferença, tenha certeza.

Juliana Caribé disse...

Me lembrou a música "Samurai", do Djavan...

DE-PROPOSITO disse...

seu nome anda em minha boca
----------
Pois é, soletrado no silêncio.
Felicidades.
Fica bem.
Um beijinho, envolto numa espiral de fumo.
Manuel

Defensor disse...

Salve Saramar.
Belíssimo poema, de novo.
Verdade. De nossas dores somente nós sabemos...
Abraços, bom fds

Mïr disse...

"...Que sabem os astros
do percurso entre a noite e a manhã..."


Lindo.