O QUE TE LEVOU DE MIM?


É medo, é pejo
ou acabou o desejo
do ermo noturno
dos beijos?

É medo, é dor
que entranha nos eixos
do dia
ou foi bom e adeus?

É medo da dor,
prima-irmã desse anseio
de tomar a pele do outro
que chamamos amor?

É medo?
Saramar


Imagem: Clive Mealey

11 comentários:

Avassaladora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Avassaladora disse...

Saramar, boa noite!

Sumistes desde o carnaaval...

E voltas com mais uma lindeza de poema!

Vi sua atualização em meu blog, e vim logo ver o que te trazia de volta...
E vi que foi o medo...rs


Mas que não tenhas medo de nos brindar mais vezes com sua poesia!


Beijos e carinhos!

Anônimo disse...

Saramar, finalmente...fico feliz.
Continuas com a habitual veia poética e a encastelar palavras, tansformando-as em poemas lindissimos e sublimes.
Um beijo.
miguel

Tina disse...

Oi Saramar!

Só para dizer que senti saudade de você e de versos seus. LINDOS!

beijo grande querida,

Sônia disse...

Saramar? Você voltou??
E voltou arrasando! Adorei o poema.


Um abraço!

delusions disse...

:)



Bjinhos*

Francisco Dantas disse...

Epa, Saramar, voltaste mandando ver, amiga. Que Carnaval mais prolongado! Fico feliz com o retorno. Um beijo.

Claudinha ੴ disse...

Ei Sumida, tudo bem?

Volta com o poema belo e a reflexão dolorida. Às vezes a vida é tão estranha...
O que levou, certamente o medo... Mas quem vai pode um dia voltar se deixarmos portas e janelas abertas...
Beijo!

Tina disse...

Oi Saramar!

É, na maioria da vez, o medo. E seus versos me fazem bem.

beijos querida e desculpe o sumiço, mas foi por motivo justo.

paulinho damascena disse...

BELO TEXTO!
adorei seu Blog,
espero sua visita ao meu Blog tb


http://pcsouzabv.blog.uol.com.br/

luiz alfredo motta fontana disse...

Reconhecer a poesia

ela permeia teu blog

esse o verbo que conjugo

(colecionei esse poema em meu blogbar)