FRIO


Quem dera o amor não doesse tanto
não precisaria cravar meus olhos
no vento, desfazendo a neve
não aqui dentro
que não há sal que remova
o frio do branco-preto buraco
a que a estrela não resiste.

Sem você, o frio
e o pranto quente.

Saramar

Imagem: Dorothy Wheller

22 comentários:

Tina disse...

Oi Saramar!

O frio (que tanto gosto) anda a me assombrar com vida perene... e "não há sal que remova" : Mãe...

beijo grande, seus versos acalentam.

Marta disse...

Gosto do calor misturado com o frio mas noite iluminadas de verão...

convido a visitar o meu espaço em:
http://www.marprofundo.net

beijinho

Poesia! disse...

bom dia!
gosto muito do sua pagina!
sou adm. do blog “o fogo anda comigo”(thefirewalkswithme.blogspot.com).
o blog tem como ideal um SARAU AMPLIFICADO onde TODOS divulgam suas ideias e, o principal, poemas.
gostaria de ser um parceiro seu!
OBRIGADO!
ofogoandacomigo@yahoo.com.br

Jacinta Dantas disse...

Sem o abraço do amor a vida fica fria nos braços vazios. E, então, "frio e pranto quente"
Abraços

Moita disse...

Nascido no Semi-Árido Nordestino, não sei o que é frio.

Frio pra mim é tentar contato e não conseguir.

Alguns cheiros

Zeca disse...

Saramar,

sinto uma dor gelada diante da tristeza deste poema.

Beijos.

Bosco Sobreira disse...

Minha querida Poeta,
Que bom voltar (lentamente, no ritmo da conexão discada) e reencontrar tua sensibilidade feito poema!
Espero voltar logo ao encontro com todos os amigos e amigas.
Um beijo afetuoso!

JPAnunciação disse...

Cara Saramar,

"Cravar os olhos no vento..."
SUPERIOR!!!
Como gosto sempre do que aqui leio e o quanto perco por não ser mais assíduo.

Um beijinho Poetisa,
JP

Márcia(clarinha) disse...

Frio poema frio..de dor
Sinto falta da segunda pele minha a me aquecer...

lindo dia doce Saramar
beijos

Sônia disse...

Quem dera...Saramar! quem dera...


Bom dia!

Sílvio disse...

Saramar, quanto tempo...

É ótimo ver que és fonte que não seca, flor que não desbota, semente que renasce a cada verso.

Obrigado pela visita ao Minimínimos.

Beijo

Sílvio

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Olá
Tempos que não vinha aqui...
Saboreei cada verso, colhi no meu cálice especial cada lágrima não vertida do pranto do amor.
beijo e luz

Mimi disse...

aqui, já congelei.

E não choro mais; voltei a sorrir

beijos

Joaquim Alves disse...

Que doçura! Parece saído de um forno antigo e comunitário, lá na minha aldeia, onde minha avó ia cozer o pão. Pão e Poesia até ligam... Um beijo e tudo de Bom!
Joaquim

Defensor disse...

Salve Saramar
Sem abraços de amor, o frio impera...
Abraços

Isabel-F. disse...

parabéns pelo teu poema ... é lindo...


beijinhos

wander disse...

Doi a dor de um amor? Ah já não se sabe...coração não se engana,eu sim...

ROSA E OLIVIER disse...

"Si el padecer con amor
puede dar tan gran deleite,
qué gozo no dará el verte?"...!?

Passavo per un saluto!

Marta disse...

sem ti...frio
lágrimas...quentes


beijinho


http://www.marprofundo.net

moacircaetano disse...

sempre lindo tudo por aqui...
ppena que me falte tempo pra sempre estar!
beijos!

Bosco Sobreira disse...

Saudade de você, minha Poeta favorita. Minha querida Poeta.
Um beijo afetuoso.

Chiko Kuneski disse...

Lindo teu poema. As estrofes finais são um achado poético.