SERENATA



Misturam-se as palavras,
imaginando-se em pautas
sem perceber que
este ruído noturno
que as faz trocar os pés,
perdendo a tônica e o sentido
não é, senão
a noite longa a olhar o escuro,
a nota triste da solidão.

Saramar

10 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Sara, vc escreveu uma bela serenata de palavras.
Parabéns pela qualidade literária.

Bom resto de semana, beijinhos.

PS: não abra os links do comentário acima, julgo que são vírus.

Léo Scartezzine disse...

Saudades!

Cristiane Moreira disse...

Gostei!!!

Beijos Saramar! :)

Ricardo Rayol disse...

Uma tristeza melodiosa essa serenata

Sombra do Sol disse...

Olá boa noite, nossa árvore de amigos continua proporcionando bons frutos, e certamente sentindo sua falta, pois você contribuiu com a boa colheita, pois nesse mundo virtual o que importa não é a beleza externa, e sim aquela que brota no coração, e seja adubada com a amizade e a união de todos nós. Nossa árvore está participando do concurso destaque, é só um clik no atalho e votar no painel nº 1(um) agradeço antecipadamente. Fique em paz e com Deus, tenha um seguimento de semana com muita paz, saúde e luz. Abraços do amigo.
http://fribeiro1953.sites.uol.com.br/blog/destaqnet.html

* hemisfério norte disse...

obrigada pela sua visita Sara, bem como suas palavras gentis.
Ficou bonita essa sua serenata. Parabéns
bjs
a

Defensor disse...

Salve Saramar!
De novo, só posso render minhas homenagens!
Demais...
Aliás "...a noite longa a olhar o escuro, a nota triste da solidão"... é a cara do Defensor...
Amei.
Abraços

Sônia disse...

E como são tristes as noites de solidão...


Abraço Saramar!

Naeno disse...

Belo poema. As palavras que podem descrevê-los estão todas no seu cantar.

Você sabe de minha admiração por você e pelo seu trabalho.

Um beijo
Naeno

Alcinéa Cavalcante disse...

Era uma serenata tão bela assim que eu estava precisando no meu blog nesta semana da poesia.
Beijos