VIVO PARA LEMBRAR DE TI


"Eu não te amo porque quero,
se eu pudesse, esqueceria..."
Dolores Duran


Esquecidas de viver,
as palavras vão morrendo
como uma tarde qualquer
de portas trancadas.

A saudade,
fina dor dos intervalos,
vai ferindo sempre
e ri da morte.

eu também morro
(porque te amo)
e vivo, entretanto,
para lembrar de ti.
Saramar

14 comentários:

Jacinta Dantas disse...

No amor, com amor e pelo amor, morremos e vivemos, todos os dias. Sim, essa dicotomia de amar-morrer-viver, nos faz vívidos e nos torna palavras nesse seu poema. Lindo, como sempre.
Um abraço e bom domingo

Anônimo disse...

Lindo..!

Tanto talento..! Até doi.

Um beijo.
miguel

Cecília disse...

Lindo!!!
Gosto muito dos seus textos!!!
Beijão

BANDEIRAS disse...

Querida amiga,

Que alegria, sempre que recebemos sua visita, é uma honra, e comentar sobre o post, meu Deus! Lindo.
Estamos com uma enquete, será que você votou? Votou nas flores?
Brincadeirinha, o voto é secreto, e por falar nisto, hoje também é dia de voto, vamos tocer pelo bem...
love you
bjs

Luci Lacey disse...

Saramar

Este amor esta tatuado no osso . . . na alma.

Estimo melhoras.

Beijinhos e boa semana.

spersivo disse...

Saramar,
Como sempre você é primorosa. Bjao e espero já esteja em plena forma. S.

Sandro disse...

Muito bonito...

Mimi disse...

eu ando me libertando, sabe... não posso mais tanta coisa que nunca pude, então chega.

Entendeu?

Nem eu!

beijos

Junia disse...

Oi Saramar!

Nem sei o que dizer: você já disse TUDO. Obrigada querida.

beijos e boa semana,

Tina disse...

Oi Saramar!

No comentário acima leia: Tina - BlueMoon.

Estava no blog errado. E agora a gente não consegue apagar o comment errado. Coisas de Blogspot.

beijos querida.

Márcia(clarinha) disse...

Perfeita imagem do sofrer por amor.

Está melhor querida? Tomara sim.

lindos dias doce Saramar
beijos

Sônia disse...

O Miguel tem razão!


Você está bem, Saramar?

Um abraço!

cilene disse...

Ah Saramar se amasse tanto...nao sei o que seria de mim..

looking4good disse...

Muito bonito este poema... [«eu também morro (porque te amo) e vivi, entretanto, para lembrar de ti»]; a citação de Dolores Duran faz um excelente enquadramento.