CORSÁRIO


Todo amor invade e aflige.
É corsário com mãos de perfume
e cravo crudelíssimo.
Ora flor, ora gemido,
o amor invade os sonhos,
transtorna os dias,
revira a alma,
ri do tempo,
desconhece circunstâncias.
Rei e menino,
o amor brinca na doce aflição
dos sentidos
e marca e fere.
Assim como não se sabe do seu começo,
nunca termina
tatuado a fogo,
para sempre arde e dói
apesar de sua permanência
breve.
Pena de ave sem pouso,
na alma,
para sempre pesa.
Saramar

10 comentários:

Jacinta Dantas disse...

Você, sempre retratando o Amor e suas marcas tatuadas na pele e no coração.
Um abraço

Cecília disse...

Huuuuuuuuuuum...
Adoro a forma como você retrata o amor!!!
Beijossss

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Querida Saramar
Andei meio ausente, por conta de mil coisas...
Mas estou de volta, colocando a leitura em dia e encontrando sempre Amor aqui no seu espaço.
beijo e luz

J.F. de Souza disse...

Sim, bela síntese do que seria o amor... Adorei isso!

"Pena de ave sem pouso,
na alma,
para sempre pesa."

PERFEITO!

Bjao! =*

J.F. de Souza disse...

Saramar, mulher!

Tem um convite pra você no B7C! Dê uma clicada aqui e veja lá!

=*

Sônia disse...

Que bonito Saramar!


Um abraço!

Zeca disse...

Saramar, o amor retratado por você, com sua poesia visceral, é mesmo daqueles tatuados a fogo, ardido, doido... ao mesmo tempo lindo.

Beijos. Carinho.

Moita disse...

Eu não tenho mais nada pra dizer.

Só que o seu talento está sendo ou esquecido ou desconhecido ou não trabalhado ou negligenciado pelas editoras.

Uns cheiros diferentes.

neo-orkuteiro disse...

Conheço-a doutro espaço virtual. Lá, leio-a sempre, comento-a vez em quando. Só agora sei de seus tantos outros blogs. Por acaso, nas andanças qeu faço pela blogostera.
Neste poema que acabo de conhecer, acho-a em tudo e por tudo perfeitamente reconhecível.
Com o tempo, estarei vendo e lendo em seus outros blogs, todos.
Até então, Saramar.

Lia Noronha disse...

Saramar: o coração muitas vezes deve ficar num cantinho...esperando por tempos melhores!
Bjus mil!!