FALTA MINHA, DE TI


Eu sei, devia ter avisado
contado da ausência de mim.
Bem podia ter escrito que
mais nada sei dizer do nosso amor.
Se tivesse previsto
pintaria murais mexicanos
ou espanhóis
dizendo do que pisou em minhas flores
e misturou as cores com a terra
o final de tudo, afinal.
Eu devia ter dito que iria faltar
ao encontro com minha dor.
O poeta bem avisou que
a dor também se cansa de tanto doer
porque ofício mais triste não há
este de ferir constantemente
alguém que só sabe amar.

Se voz ainda me restasse,
teria contado que parti.

Mas para quem diria
se não há mais alguém para ouvir?
Saramar

22 comentários:

Sônia disse...

Que bonito Saramar...triste também.

Brancamar disse...

Muito lindo Saramar e muito verdadeiro, - " a dor também se cansa de tanto doer".
Parabéns pelo seu constante talento e bom gosto.
Beijinhos

Lorena Covem disse...

Acessei seu blog p ver como vc está, Sara... E o último poema está tão triste, mas lindo como sempre! Também me identifiquei c ele... Saudades! Beijos

Joice Furtado disse...

Ai que lindo! "este de ferir constantemente alguém que só sabe amar." Isso acontece tanto. bjuss querida

delusions disse...

Se voz ainda me restasse,
teria contado que parti.

Mas para quem diria
se não há mais alguém para ouvir?


lindo...


bjinho*
Sofia

Cecília disse...

Lindo.
Lindo e Verdadeiro...

Melhoras...
Espero que se recuper logo!
Te Cuida. Fica com Deus!
Boa Semana!
Beijos

Moita disse...

A Cecília falou: melhoras.

Está doente? Ou será apenas metáfora ou sentimento poético da dor não física, mas do coração abstrato?

Ih! já comecei a fazer pergunta poética. Será que é o clima desse blog?

Muitos cheiros.

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Triste, e lindo...
É sempre assim, e nós, poetas, sofrendo, nossas dores, as dores do outro, as dores do mundo.
Raça danada essa!
Saudades daqui. às vezes venho em silêncio, tem-me faltado tempo.
beijo e luz

Sônia disse...

Por onde andas Saramar??? rs...
Ainda bem que tem os seus belos poemas aqui, no BSB...


Abraço!

Zeca disse...

Demoro para vir, mas quando chego, fico. Leio e releio os poemas que tanto me encantam. Não importa o quão tristes me pareçam; importa o bem que me fazem.
Beijos. Carinho.

Tina disse...

Oi Saramar!

Perfeito! (como sempre...)

beijos querida e obrigada por dividir. Bom fim de semana!

Bosco Sobreira disse...

Um pungente e belíssimo poema, como são todos os seus, minha querida poeta.
Um beijo afetuoso.

ROSA E OLIVIER disse...

...se voz ainda me restasse
teria contado que parti...Lindo!...e para ti...

"te amo em silencio
e só o silencio sabe."

baci mille.

Odele Souza disse...

Falam de teus versos tristes. Mas a tristeza é uma das matérias primas dos poetas. O que importa é a beleza que teus versos - alegres ou tristes - nos passam. Beleza.

Beijos querida Saramar.

Jacinta Dantas disse...

Meu Deus!
quanta delicadeza nesse poema. Uma delicadeza doida doída. Ah o amor!
o amor... amor desmedido, amor incondicional...
AMOR.

Dora disse...

Esse poema me deu uma repentina vontade de chorar. Tão lindamente triste!
Cadê você, Saramar, que não ouço mais o ruído de seus passos, não leio suas linhas pela Net?
Por que não me visita mais? Saudade, menina!
Como está você, Saramar?
Eu estou aqui, "para ouvir".
Abraço bem apertado.
Dora

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Estou a me cobrar...
Por que não consegui ler nas entrelinhas?
Estou aqui... sempre!
Meu e-mail é katiadecarli@gmail.com
Se precisar de algo, alguém que a escute, aqui estou. Sempre.
beijo luz e melhoras

Menina_marota disse...

Já não passava por aqui há tanto tempo, que doeu as saudades que tinha de te ler.

Triste, mas lindo e extremamente sensível o teu poema...

Beijinhos no coração

Márcia(clarinha) disse...

Querida, quanta tristeza nesse não saber onde estão, quanta dor no silêncio, quanta beleza nas palavras suas.

Estimo suas melhoras, que volte forte, que o mal não a atinja, amém!

Lindo seja seu dia e feliz seja seu retorno.
beijos doce Saramar

Sônia disse...

Obrigada pela visita Saramar!
Espero que fique boa logo, para nos presentear com belos poemas e sua agradabilíssima presença.


Um abraço!

Anônimo disse...

Que bom passar por lá e por aqui novamente e encontrar tuas portas abertas e palavras bem criadas transbordando por todas as janelas... Quase fui, mas sem vagar vou voltando ao mundo... bjs ... marcelo ... mbrettas.blog.uol.com.br... por algum motivo o meu Mac hoje só me permiti postar como anônimo...

Alexandre, The Great disse...

Há sim, Saramar... pode sussurrar que eu escuto...